Pular para o conteúdo principal

Paulo e a soteriológica




http://3.bp.blogspot.com/-ZGpIXETE_6Q/
TVc47_ru8HI/AAAAAAAAAaA/n3
0oizQNtzo/s1600/crossinbible.jpg

         Vejamos a visão  do apóstolo Paulo: “Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo”. (I Tm 2:4-6).        

         Vemos aqui que explicar a doutrina da predestinação à luz deste texto fica difícil? Paulo diz que Deus quer que TODOS os homens se salvem. Ele mostra claramente que está falando de salvação quando afirma que eles precisam chegar ao conhecimento da verdade. No versículo 6 ele fala que Jesus se deu em preço de redenção por TODOS, e não somente por alguns “eleitos”. Será que Jesus acreditava na doutrina da predestinação? Vejamos o que Ele mesmo diz: “E vós não quereis vir a mim para terdes vida” (Jo 5:40). Se é Deus quem predestina as pessoas para não aceitarem a salvação, então Jesus está completamente equivocado. Como Ele é Deus e não pode errar, então o homem não se chega até Ele porque não quer. Todos os que rejeitam a salvação o fazem por livre e expontânea vontade. Leiamos mais uma declaração do nosso Senhor Jesus Cristo: “Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar os que estão entrando” (Mt 23:13).         
           Temos aqui uma das mais duras repreensões de Jesus. Qual era o principal motivo? A mentira e o rigor dos religiosos que impedia as pessoas de entrar no reino dos céus. Jesus deixa bem claro que eram os fariseus e os escribas que estavam fechando a porta da salvação, por serem os mestres das Escrituras, e por isso receberiam mais duro castigo. Se é Deus quem fecha a porta da salvação para as pessoas, cegando-as e rejeitando-as, por que Jesus censura os religiosos por causa disto? Se é Deus quem fecha o reino dos céus, como acreditam os calvinistas, então Jesus deveria dar uma bronca em Deus, e não nos fariseus. Mais uma vez a doutrina da predestinação se mostra absurda. Novamente fica claro que o desejo de Deus é que o homem seja salvo. O próprio Deus chama todos os seres humanos ao arrependimento (At 17:30). Jesus ordenou que o Evangelho fosse pregado a toda criatura (Mc 16:15).  
         O desejo de Deus salvar todos os seres humanos está expresso claramente em toda a Bíblia. Afirmar o contrário é mudar completamente o caráter de Deus. Vejamos o que diz o apóstolo Pedro: “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se” (2 Pe 3:9).

    Mais uma vez vemos que a vontade de Deus é não perder nenhum, mas ver todos chegando ao arrependimento de seus pecados. Deus é amor (I Jo 4:8) e se sente profundamente triste quando alguém se perde. Jesus mesmo declarou que quis juntar Jerusalém como uma galinha junta seus pintinhos, mas eles não quiseram (Mt 23:37).

         Desta forma percebemos que a doutrina de Paulo para a salvação tem em Cristo o seu centro, e o alvo não são os eleitos mas sim todos os pecadores. Você é um pecador? Então a obra de Cristo é para você. Pense nisso!!!! 

OBS:  texto extraido de um comentário sobre a eleição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação em Lutero uma abordagem ainda para o século 21

            Neste trabalho estaremos analisando dois escritos de Lutero que constam nas Obras Selecionadas (v. 5): Aos conselhos de todas as cidades da Alemanha para que criem e mantenham escolas cristãs (1524) e Uma prédica de Martinho Lutero para que se mandem os filhos para a escola (1530). O objetivo deste trabalho é avaliar o desenvolvimento teológico de Lutero dentro do assunto “Educação” conforme esses escritos de épocas distintas. Após o estudo e comparação destes dois escritos não pude perceber um desenvolvimento teológico significativo em Lutero. Talvez isso se deva a proximidade da data e por estarem os dois escritos no período do “Lutero adulto” (ou seja, depois de 1519). Também é difícil analisar o desenvolvimento teológico de Lutero em um assunto que não é propriamente “teológico”.             Porém, essas obras são de suma importância para a cristandade e a história da educação. Percebemos nestes escritos o valor que Lutero dava à educação, principalmente como p

Luterano, Luterana significado, fácil de buscar.

Luterano, Luterana significado, fácil de buscar. Os termos “luterano significado”” Reforma Luterana”, para entender temos que olhar para o passado, no século XVI, devido a divisão na Alemanha entre Católicos e Protestantes, claro que o fator da divisão foi doutrinário, como podemos observar na Dieta de Worms . Termos como Luteranismo, As confissões Luteranas, Livro de Concórdia de1580 , Igreja Evangélica Luterana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, são retiradas desta divisão doutrinária. A religião luterana no Brasil está a mais de 100 anos, dívida entre duas igrejas herdeiras dessa reforma, há Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), http://www.ielb.org.br/home/ , e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), http://www.luteranos.com.br/ . Marca do Luteranismo é a educação, mesmo aqui no Brasil, basta fazer uma busca com os termos “ luterano ferraz ”, “ luterano analia franco ”, “ ULBRA ”, “ Colégio Concórdia ”, “ instit

Reforma Hoje. Um olhar através dos tempos 1 parte.

Reforma Hoje. Um Olhar Através Dos Tempos 1 parte O texto abaixo é  extraído  de um artigo, numa cadeira de catecismo do S eminário   Concórdia  de São Leopoldo RS. Reforma Hoje. Gene Edward Veith      Através de quase todo o século XX, a maior questão teológica foi a chamada "Batalha pela Bíblia". Começando com o conflito entre modernistas e fundamentalistas, a igreja na América vem sendo agitada por uma divisão entre aqueles que acreditam que os ensinos da Bíblia devam ser julgados de acordo com as mais recentes tendências intelectuais e culturais e aqueles que crêem na iner-rância da Escritura. Ao longo de quase todo o século, teólogos liberais, armados com a metodologia crítico-histórica e o prestígio da classe intelectual, batalharam contra os evangélicos, que insistiam na realidade da inspiração divina e no evangelho sobrenatural.        Em meio às violências de cismas denominacionais, seminários para expurgo e divisões de igrejas, os modernist