Pular para o conteúdo principal

A PALAVRA HUMILDADE (MANSIDÃO) E SEU CONCEITO


http://2.bp.blogspot.com/_C25vqjaIxbU/SfehhiT-WsI/AA
AAAAAAGRA/9yU3MFauKuE/s3
20/tua_palavra_e_verdade_camino_a_cristo.jpg


1) O termo grego usado no texto de Gálatas é proates. E traduzido por mansidão, humildade, cortesia.
2) O conceito: "E o temperamento especialmente cristão de não defender de unhas e dentes os próprios direitos. Nosso Senhor associa a essa virtude (Mt 5.5) a bênção, sendo um dos Seus próprios atributos (Mt 11.29). Tam­bém é virtude demonstrada pelo apóstolo Paulo (2 Co 10.1) - "Novo Dicio­nário Bíblico", Prof. E Davidson. [Conferir os textos bíblicos indicados.]
3) Manso ou humilde é aquele que não toma a vingança nas suas próprias mãos, porque confia no Senhor.
4) A palavra "manso" tem, na sociedade secular de hoje, um sentido pe­jorativo. Significa ser fraco, frouxo, medroso e covarde. Porém, Jesus tem outro conceito ao afirmar "bem-aventurados (felizes) os mansos..." (RA).

D - EXEMPLOS DE HUMILDADE E MANSIDÃO
1) Jesus Cristo
Ele mesmo testifica ao seu respeito: "Sejam meus seguidores e apren­dam comigo porque sou bondoso e tenho um coração humilde" (Mt 11.29). [RA: "Sou manso”]
Provou isso ao abdicar temporariamente do uso pleno de sua majesta­de e glória. Humilhou-se para servir a humanidade. Não revidava os maus tratos com ultraje, vingança ou raiva contra as pessoas. Pelo contrário, amava as pessoas, as perdoava, e humildemente foi morrer na cruz e res­suscitar para salvar os pecadores da culpa e da condenação eterna.
Vejam a atitude humilde de Jesus em Mt 21.5.

2) Moisés
"Moises era um homem humilde (RA - manso) o mais humilde do mun­do" (Nm 12.3). Moisés, sendo manso, não foi fraco, frouxo, medroso ou retraído. Era destemido, corajoso, intrépido e ousado. Ele, que no passado fugira da presença do Faraó, volta e fala destemidamente ao rei do Egito: "O Senhor, o Deus do povo de Israel, disse: Deixe que o meu povo vá ao deserto a fim de fazer ali uma festa em minha honra".
Como Moisés passou a ser "manso" ?- O segredo está no registro de Êx 3.11: "Moisés perguntou a Deus: Quem sou eu para ir falar com o rei do Egito e tirar daquela terra o povo de Israel" Moisés não confiou em sua própria capacidade, mas passou a confiar na presença e assistência de Deus, que lhe disse: "Eu estarei com você" (Ex 3.12).
Nós também queremos cultivar a humildade e a mansidão. Con­seguindo isso, seremos felizes, conforme Jesus afirma no Sermão do Monte. Além disso, seremos valiosos instrumentos para ajudar as pessoas que estão a nossa volta; estaremos espelhando a bondade de Deus diante das outras pessoas. Para conseguir isso, precisamos abdi­car do nosso orgulho e vaidade, do nosso medo e retraimento, da con­fiança em nós mesmos (sem destruir a sadia autoestima) e na nossa capacidade. Precisamos humilhar-nos diante de Deus, à semelhança de Moisés, e confiar que Deus nos capacitará a sermos humildes e úteis no seu Reino.
Então; estaremos capacitados a cumprir com a recomendação do apóstolo Paulo: "Meus irmãos, se alguém for apanhado em alguma falta, vocês que são espirituais devem ajudar essa pessoa a se corrigir" (Gl 6.1).

E. RECOMENDAÇÕES DA PALAVRA DE DEUS PARA OS CRISTÃOS
- Tg 1.21: "Aceitem com humildade a mensagem que Deus planta no cora­ção de vocês, a qual pode salvá-los".
- Pv 15.1: "A resposta delicada acalma o furor, mas a palavra dura aumen­ta a raiva".
-1 Pe 3.4 - Falando às mulheres: "A beleza de vocês deve estar no coração, pois ela não se perde; ela é a beleza de um espírito calmo e delicado, que tem muito valor para Deus".
- 1 Pe 3.7 - Falando aos maridos: "Também você, marido, na vida em comum com a esposa, reconheça que a mulher é o sexo mais fraco e que por isso deve ser tratada com respeito".


Fonte: Caderno do PEM 2-11

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação em Lutero uma abordagem ainda para o século 21

            Neste trabalho estaremos analisando dois escritos de Lutero que constam nas Obras Selecionadas (v. 5): Aos conselhos de todas as cidades da Alemanha para que criem e mantenham escolas cristãs (1524) e Uma prédica de Martinho Lutero para que se mandem os filhos para a escola (1530). O objetivo deste trabalho é avaliar o desenvolvimento teológico de Lutero dentro do assunto “Educação” conforme esses escritos de épocas distintas. Após o estudo e comparação destes dois escritos não pude perceber um desenvolvimento teológico significativo em Lutero. Talvez isso se deva a proximidade da data e por estarem os dois escritos no período do “Lutero adulto” (ou seja, depois de 1519). Também é difícil analisar o desenvolvimento teológico de Lutero em um assunto que não é propriamente “teológico”.             Porém, essas obras são de suma importância para a cristandade e a história da educação. Percebemos nestes escritos o valor que Lutero dava à educação, principalmente como p

Luterano, Luterana significado, fácil de buscar.

Luterano, Luterana significado, fácil de buscar. Os termos “luterano significado”” Reforma Luterana”, para entender temos que olhar para o passado, no século XVI, devido a divisão na Alemanha entre Católicos e Protestantes, claro que o fator da divisão foi doutrinário, como podemos observar na Dieta de Worms . Termos como Luteranismo, As confissões Luteranas, Livro de Concórdia de1580 , Igreja Evangélica Luterana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, são retiradas desta divisão doutrinária. A religião luterana no Brasil está a mais de 100 anos, dívida entre duas igrejas herdeiras dessa reforma, há Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), http://www.ielb.org.br/home/ , e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), http://www.luteranos.com.br/ . Marca do Luteranismo é a educação, mesmo aqui no Brasil, basta fazer uma busca com os termos “ luterano ferraz ”, “ luterano analia franco ”, “ ULBRA ”, “ Colégio Concórdia ”, “ instit

Reforma Hoje. Um olhar através dos tempos 1 parte.

Reforma Hoje. Um Olhar Através Dos Tempos 1 parte O texto abaixo é  extraído  de um artigo, numa cadeira de catecismo do S eminário   Concórdia  de São Leopoldo RS. Reforma Hoje. Gene Edward Veith      Através de quase todo o século XX, a maior questão teológica foi a chamada "Batalha pela Bíblia". Começando com o conflito entre modernistas e fundamentalistas, a igreja na América vem sendo agitada por uma divisão entre aqueles que acreditam que os ensinos da Bíblia devam ser julgados de acordo com as mais recentes tendências intelectuais e culturais e aqueles que crêem na iner-rância da Escritura. Ao longo de quase todo o século, teólogos liberais, armados com a metodologia crítico-histórica e o prestígio da classe intelectual, batalharam contra os evangélicos, que insistiam na realidade da inspiração divina e no evangelho sobrenatural.        Em meio às violências de cismas denominacionais, seminários para expurgo e divisões de igrejas, os modernist