Pular para o conteúdo principal

Missa Católica e seus abusos frente a doutrina luterana

Missa no Artigo XXIV 

Missa

O objetivo do Artigo XXIV da Confissão de Augsburgo é apontar para que os Luteranos aceitam e rejeitam na prática da missa. O artigo começa falando a respeito das práticas luteranas, ou seja, do que é considerado correto na missa de um ponto de vista luterano e escriturístico. A segunda parte fala então dos abusos cometidos pela igreja católica com relação à missa.
O artigo começa falando que a missa entre os luteranos não foi abolida, muito pelo contrário, esta é administrada com devoção e seriedade, cuidando para instruir as pessoas sobre o sacramento (e examinadas antes de recebê-lo – conforme versão latina) e sobre o Evangelho de Cristo. A missa também não sofreu mudanças cerimoniais, a não ser uso da língua alemã no lugar da latina (a princípio somente em algumas partes), isso porque as cerimônias devem ser usadas para instruir o povo sobre a obra e a pessoa de Cristo.
Logo em seguida, passa-se a falar sobre os abusos da missa católica, a qual usou a missa para fins comerciais, onde a missa era comprada e vendida para causas específicas, estas causas na maioria das vezes era a salvação ou diminuição do tempo no purgatório para pessoas vivas e mortas. Tais missas, diz a Confissão, foram abolidas das igrejas Luteranas.
Outro erro que foi censurado, e este de vínculo mais doutrinário, é que se ensinava que Cristo havia morrido para satisfazer apenas o pecado original, sendo que os outros pecados deviam ser pagos através de sacrifícios, e a missa entendia-se que havia sido instituída para servir de meio pelo qual estes pecados havia de ser pagos. Foi desta idéia de missa que surgiram as missas particulares, daí em diante, ao invés de comprar uma missa onde teria uma congregação inteira a participar desta, era possível, que estas missas fossem compradas e rezadas apenas pelo bispo, sem necessidade de uma congregação. Com essas idéias esqueceu-se o verdadeiro significado da missa.
Com isso foi necessário que se instruísse o povo a respeito do correto uso da missa e do sacramento. Aqui é importante apontar para o fato de que nas Confissões quando se fala de missa, subentendesse o Sacramento do Altar e vice-versa, ou seja, muitas vezes quando se fala em Sacramento se esta na verdade apontando para a missa e vice-versa.
Em primeiro lugar se esclareceu que o sacrifício de Cristo, segundo as Escrituras Sagradas, é o único meio pelo qual os pecados são expiados, tanto o pecado original, quanto os pecados atuais do ser humano (Hb 9.26, 28; 10.10, 14).
Em segundo lugar, Paulo ensina que só podemos ter graça diante de Deus por meio da fé e não por meio de obras. Já a missa como era ensinada entre os católicos previa o fazer de obras meritórias diante de Deus, ou seja, justamente o contrário do que Paulo ensina.
Em terceiro lugar, o santo sacramento não foi instituído para que com este se pudessem fazer sacrifícios pelos pecados, visto que o sacrifício foi feito uma única e suficiente vez por Cristo na cruz, antes este foi instituído para oferecer ao crente o manter e despertar da fé nas promessas graciosas de Cristo (perdão dos pecados).
Segundo a Confissão, já que a missa havia sido abolida no sentido de sacrifício pelos pecados de vivos e mortos, essa passou a ser feita apenas de forma congregacional, reunindo aqueles que desejavam comungar. Ainda a Confissão faz questão de dar autoridade a esta informação citando alguns pais da igreja como Crisóstomo (Gregório e Crisóstomo, na latina).

Por fim, se pode dizer que a igreja Luterana não deixou de praticar a missa e os sacramentos, antes buscou corrigir os abusos feitos pela igreja católica, a qual havia corrompido o sentido da missa e do Santo Sacramento, transformando-as de graça divina em obra humana para receber méritos diante de Deus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação em Lutero uma abordagem ainda para o século 21

            Neste trabalho estaremos analisando dois escritos de Lutero que constam nas Obras Selecionadas (v. 5): Aos conselhos de todas as cidades da Alemanha para que criem e mantenham escolas cristãs (1524) e Uma prédica de Martinho Lutero para que se mandem os filhos para a escola (1530). O objetivo deste trabalho é avaliar o desenvolvimento teológico de Lutero dentro do assunto “Educação” conforme esses escritos de épocas distintas. Após o estudo e comparação destes dois escritos não pude perceber um desenvolvimento teológico significativo em Lutero. Talvez isso se deva a proximidade da data e por estarem os dois escritos no período do “Lutero adulto” (ou seja, depois de 1519). Também é difícil analisar o desenvolvimento teológico de Lutero em um assunto que não é propriamente “teológico”.             Porém, essas obras são de suma importância para a cristandade e a história da educação. Percebemos nestes escritos o valor que Lutero dava à educação, principalmente como p

Reforma Hoje. Um olhar através dos tempos 1 parte.

Reforma Hoje. Um Olhar Através Dos Tempos 1 parte O texto abaixo é  extraído  de um artigo, numa cadeira de catecismo do S eminário   Concórdia  de São Leopoldo RS. Reforma Hoje. Gene Edward Veith      Através de quase todo o século XX, a maior questão teológica foi a chamada "Batalha pela Bíblia". Começando com o conflito entre modernistas e fundamentalistas, a igreja na América vem sendo agitada por uma divisão entre aqueles que acreditam que os ensinos da Bíblia devam ser julgados de acordo com as mais recentes tendências intelectuais e culturais e aqueles que crêem na iner-rância da Escritura. Ao longo de quase todo o século, teólogos liberais, armados com a metodologia crítico-histórica e o prestígio da classe intelectual, batalharam contra os evangélicos, que insistiam na realidade da inspiração divina e no evangelho sobrenatural.        Em meio às violências de cismas denominacionais, seminários para expurgo e divisões de igrejas, os modernist

Estado Islâmico é o lado oculto do Islamismo?

Estado Islâmico é o lado oculto do Islamismo?  Estado Islâmico, Islamismo, Maomé          Estado Islâmico é o lado oculto do Islamismo, fica sempre uma duvida até que ponto o ensino de uma religião pode influenciar o lado pecador do ser humano, ao ponto de não ter nenhum valor a vida de outro ser humano contrario as convicções religiosas. Já vimos na historia cidade e pessoas serem devastados por causa da fé. Vivemos dias em que a liberdade de ir e vir tão comum numa democracia serem motivos de prisões e o mundo assisti a tudo com conformismo.         O Islamismo já é a maior religião do mundo, com abrangência em vários países, uma infiltração silenciosa que causa medo a todos. Claro que uma pessoa não deve ser perseguida por causa de sua religião. Mas as guerras santas em nome de Alá, e as explicações e interpretações de Maomé, até que ponto é sagrada. Quando olhamos a fundo percebemos que no islamismo a figura de Jesus Cristo o filho de Deus aparece descrita, mas a sua o